Serviço de banda larga brasileiro é reprovado.



As principais fornecedoras descumprem o código de defesa do consumidor, diz Inmetro. Clientes podem testar se velocidade da sua banda larga está de acordo com a contratada acessando o site www.simet.nic.br.

As operadoras oferecem aos seus clientes um serviço caro e ruim, segundo pesquisa realizada pelo Inmetro em três capitais (São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte).

Quedas na conexão, velocidade menos que a contratada e problemas no contrato foram as principais falhas verificadas pela entidade durante o levantamento, que avaliou a qualidade do Virtua (net), Spessdy (telefonica), Velox (Oi) e GVT.

Apior avaliação foi reistrada na análise dos contratos de prestação de serviços, em que todas as empresas apresentaram problemas.


Os contratos do Speedy, velox, Virtua e GVT desrepeitam o Código de defesa do consumidor, porque não informamclaramente qual a velocidade mínima e máxima da conexão. Além disso não asseguram a entrega da velocidade contratada pelo consumidor.

No quesito "perda de dados durante a conexão", só o Virtua mineiro foi aprovado. O problema gera lentidão, Interrupção de downloads, imagens congeladas, e ruídos durante vídeo conferências.

Já na avaliação sobre disponibilidade de serviço, as operadoras Velox (RJ), GVT (BH) e Virtua (SP, RJ e BH) ficaram fora do ar por mais de 7h mensais, e por isso foram reprovadas.