Mulheres preferem calcinha confortável a sexy...


Uma pesquisa feita no Brasil revela qual a preferência das mulheres na hora de comprar roupa íntima.
Pesquisa feita pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi) revelou que a brasileira prefere conforto a sensualidade na hora de comprar lingeries.

O instituto ouviu 1.100 homens e mulheres, acima de 15 anos, de todas as classes sociais e residentes em diferentes Estados. De acordo com o resultado, 38,3% dos entrevistados (em sua maioria mulheres) procuram comprar peças confortáveis e 14,6% optam pelas mais práticas.

Os homens discordam da preferência. Para 22,2% deles, uma lingerie sexy é muito importante, enquanto apenas 13,2% das mulheres compactuam da mesma opinião.

Quando o assunto é romantismo, a diferença fica ainda maior. Enquanto apenas 5,9% do público feminino acha importante uma peça romântica, 17,3% dos homens destacam esse aspecto.

O conservadorismo prevalece na escolha das calcinhas. O critério “vanguarda e exotismo” aparece em último na lista, com apenas 0,4% das preferências na hora da compra.

Para eles

Na hora de comprar cuecas, 38,7% do total dos entrevistados prezam o conforto, seguido por praticidade (14,2% do total).

Além disso, é importante para eles que a peça tenha estilo e seja jovial (10,3%), não pode estar fora de moda (10,1%) e tem que ser sexy (8,3%).

Calcinhas especiais x cuecas velhas

A grande maioria dos homens compra peças íntimas para substituir alguma que esteja velha. Além disso, 33% deles presenteiam as namoradas, mulheres, mães e filhas com lingeries em datas especiais.

De acordo com os dados, 31,6% das mulheres também compram lingerie para renovar o conteúdo da gaveta. No entanto, o lado consumista também tem seu peso: 22,9% compram para "se dar um presente" e 22,5% para se sentirem bonitas.

Como nos velhos tempos

A pesquisa revelou que 19,7% das mulheres ainda compram peças íntimas de revendedoras.

Preço

O gasto médio na compra de lingerie feminina foi de R$ 93,20 e de roupa íntima masculina, R$ 115,85.

Fonte